"Amem sem cor, raça ou gênero."


Eis uma boa notícia para os fãs da saudosa The L Word: a Showtime americana está trabalhando na produção de um reality show que será uma espécie de spinoff da série que contava a vida de um grupo de mulheres gays em Los Angeles e que teve seis temporadas exibidas antes de ser cancelada.


Ilene Chaiken, criadora da original, estará na produção executiva. As estrelas Jennifer Beals, Katherine Moenig e Leisha Hailey, também estarão na produção como produtoras executivos e também integrarão o elenco da série. Outros personagens da original também podem aparecer ao lado de um novo elenco de mulheres. 

O programa, um reality show, mostrará o dia a dia de seis lésbicas que vivem em Los Angeles.


Ilene Chaiken declarou à Variety que ‘as histórias do seriado (The L Word) chegaram ao fim naturalmente. Mas o canal Showtime voltou a me procurar e me propôs a missão de voltar a contar as histórias desse universo gay.

A escalação das participantes do programa está pra começar e em breve poderemos conferir como será esse reality-spinoff.

A Fox anunciou a contração de Maitê Proença para a 2ª temporada de “#MeChamaDeBruna”, série inspirada na vida de Raquel Pacheco, a Bruna Surfistinha.
A atriz interpretará Miranda, uma jornalista de 45 anos, apresentadora de um programa de televisão, culta, inteligente, interessante e homossexual, que acabará se envolvendo com Bruna.
“Ela frequenta a boate onde a Bruna trabalha, é amiga do dono. A Miranda vai para lá para relaxar depois do trabalho. É um local chique de prostitução. É nesse contexto que elas se encontram. Mas a relação das duas envolve um pouco de interesse. Uma quer se promover e a outra, aumentar a audiência do programa. A Miranda acaba expondo a vida da Bruna de forma invasiva na TV e a confiança se quebra. São oito capítulos e a história da minha personagem vai atravessar a temporada”, contou a atriz ao jornal O Globo.
Maitê destacou que não tem problemas para fazer cenas ousadas.
“Desde que seja inserida dentro de um contexto. A série tem cenas picantes, mas está tudo bem escrito. A equipe fez o trabalho junto comigo e elaboramos frase a frase para melhorarmos as sequências, que são fortes, de impacto, mas elegantes”.
“#MeChamaDeBruna” é uma produção original da FOX Networks Group Brasil junto à TV Zero, produtora do filme “Bruna Surfistinha” (2011) e retrata a história da adolescente de classe média que, atraída pelo dinheiro, emoções proibidas e a busca por sua própria independência, decide mudar de vida e se transforma em Bruna Surfistinha, a garota de programa mais conhecida da cidade de São Paulo.
Os novos episódios vão mostrar a vida de Bruna em sua fase independente como prostituta de luxo. O período da 2ª temporada abordará o começo de seu blog, quando, buscando se tornar mais conhecida e atrair mais clientes, transforma-se em fenômeno da internet. Porém, a fama cobra um preço alto e a leva por um perigoso caminho de autodestruição.
Composta por oito episódios de uma hora cada, com direção do brasileiro Pedro Amorim (“Mato Sem Cachorro”) e do argentino Octavio Scopelliti (“Dirige Rafa!”), “#MeChamaDeBruna” é protagonizada por Maria Bopp (“Oscar Freire 279”) e o elenco ainda inclui Stella Rabello (série “Tapas & Beijos”), Jonas Bloch (“O Rastro”), Simone Mazzer (“Nise: O Coração da Loucura”), Augusto Madeira (“Tropa de Elite”), Ariclenes Barroso (“Aspirantes”) e Clarice Niskier (“A Alma Imoral”).
A 2ª temporada deverá chegar aos canais premium da Fox no segundo semestre deste ano.
On 14:32 by LezLOVE in , ,    No comments

YOUTUBE
Lançada na última terça-feira (16), a campanha para a linha Humor traz um casal de mulheres como protagonista do comercial "Simpatia para amarrar o seu amor". 
A nova campanha para o Dia dos Namorados da Natura celebra a diversidade no amor.
Lançada na última terça-feira (16), a campanha para a linha Humor traz um casal de mulheres como protagonista do comercial "Simpatia para amarrar o seu amor"
O vídeo de poucos segundos brinca com as batidas simpatias que prometem trazer a pessoa amada. Por fim, as duas mulheres se beijam. "Neste Dia dos Namorados, espalhe seu humor", finaliza.



O comercial foi transmitido pela primeira vez ontem durante o intervalo da novela da Rede Globo A Força do Querer e foi elogiado pelos consumidores.

Ivete Sangalo será a grande atração do festival de música eletrônica que vai acontecer em Morro de São Paulo, na Bahia, em junho deste ano. O evento chamado San Island Weekend já ganhou o apelido de “Ilha gay de Ivete”, por conta do público esperado e da sociedade da rainha ao evento.

Ivete está colocando seu rico dinheirinho no festival junto com o Clube San Sebastian, conhecido por concentrar o maior número de homossexuais endinheirados do eixo baiano em suas baladas. Tudo isso está causando ciumeira entre as divas do axé. Claudia Leitte foi a estrela de uma pool party promovida pelo Clube, que aconteceu em Salvador, no início do ano de 2016, mas não teve sua agenda consultada desta vez. Daniela Mercury, que, como se sabe, é proclamada rainha da turma LGBT da Bahia, também ficou de fora. Até Alinne Rosa torceu o nariz.



A “Ilha gay de Ivete” terá quatro festas entre os dias 2 e 4 de junho, e num deles, ainda sem data divulgada, ela fará show . Os ingressos começaram a ser vendidos  e o acesso ao fervo será exclusivo para aqueles que comprarem o combo hospedagem e ingressos. 
On 05:58 by LezLOVE in , ,    2 comments

"O beijo encaixou", diz Monique Evans sobre namoro com Cacá Werneck.


Monique Evans não esconde de ninguém sua paixão pela DJ Cacá Werneck. As duas estiveram no 'Superpop' desta quarta (26).

Juntas desde o final de 2014, elas falaram do início do relacionamento, quebrando alguns tabus sobre o namoro gay e Monique revelou: "O beijo encaixou, sabe? Quando a gente deu o primeiro beijo, vimos que era fogo", vibrou Monique, afirmando que sabia que era amor.

Monique entregou que o romance começou através de um amigo em comum e que a amizade sempre esteve à frente. "Sexo na minha vida nunca foi prioridade", confidenciou.

O estilo de vida da loira também mudou por causa de sua orientação sexual, segundo ela mesma comenta, com humor. Como quando foi fazer as unhas e disse à manicure: "Eu agora sou sapatão, corta bem curtinho", disse.

Vítimas de ataques homofóbicos nas redes sociais, Monique e Cacá prometeram procurar a polícia para punir os autores dos comentários ofensivos. Cacá aproveitou para mandar um recado aos haters: “As pessoas precisam acreditar mais no amor. Aqui não tem interesse, não. A gente se ama de verdade”.




Ao final da atração, Bárbara Evans mandou um recado para a mãe e a companheira, emocionando o casal ao demonstrar total apoio ao relacionamento: “Vocês duas sabem o quanto são especiais para mim e o quanto guardo vocês no meu coração. Cacá, muito obrigada por cuidar da minha mãe, por amar a gente e fazer nossa família mais feliz. Tenho muito orgulho de vocês”.


A comediante Ellen DeGeneres celebra nesta sexta (28) duas décadas de uma revelação bombástica que sacudiu a TV norte-americana. Em fevereiro de 1997, no programa da apresentadora Oprah Winfrey, ela assumiu publicamente sua homossexualidade. Dois meses depois, foi capa da revista Time com a manchete "Sim, eu sou Gay". Ao mesmo tempo, sua personagem na comédia Ellen (1993-1998) se revelava lésbica."Foi a primeira vez que uma personagem principal de uma série de TV saiu do armário", dirá Ellen na edição especial de seu talk show que irá ao ar nesta sexta nos Estados Unidos. 

No programa, ela promove um reencontro com os atores Joely Fisher, Clea Lewis e David Anthony Higgins, protagonistas da comédia.Também participam do programa a ex-apresentadora Oprah, que na série interpretou a psicóloga de Ellen Morgan (personagem de Ellen DeGeneres), e Laura Dern (a Renata de Big Little Lies). A atriz viveu o interesse romântico de Ellen na trama e ouviu as palavras "eu sou gay" da boca da loira.

Em vídeo do programa especial divulgado por Ellen, ela conta que os diretores da rede ABC receberam com ironia a ideia da saída no armário. Sua personagem estava havia quatro anos sem um relacionamento, e os roteiristas criaram uma história na qual ela assumia gostar de uma mulher." Deem a ela um cachorrinho [para se apegar]", responderam os executivos sobre a trama. Por isso, o capítulo controverso ganhou o título criptografado de O Episódio do Cachorrinho. 

Rebuliço

Exibido na reta final da quarta temporada e visto por 42 milhões de telespectadores nos Estados Unidos, o episódio se tornou um marco da TV, mas trouxe consequências indesejadas.

A ABC decidiu renovar Ellen por mais um ano, que acabou sendo o último. A série levantou questões sobre gays na temporada final e perdeu público gradativamente. A tensão entre Ellen e a ABC se intensificou, em parte pela decisão da rede norte-americana de inserir, antes de cada episódio, um aviso aos pais sobre o conteúdo não apropriado para crianças e adolescentes.


Quando o episódio completou dez anos, em 2007, Laura Dern foi entrevistada por Ellen e fez um desabafo. Segundo a atriz, interpretar Susan, a namorada de Ellen na série, prejudicou sua carreira. Ela ficou um ano e meio sem trabalhar.


Exibida no Brasil pelo canal Sony, Ellen trouxe uma trama bem básica. Apresentou a rotina de uma dona de livraria na casa dos 30 anos que lidava com problemas cotidianos, ao lado de amigos excêntricos e uma família desajustada. A comédia foi indicada a dez prêmios Emmy e ganhou três, dois deles pelo Episódio do Cachorrinho: roteiro e edição.